A feiura nossa de cada dia

feiura

Acabo de ler uma entrevista antiga com Zilu Camargo, ex-mulher do cantor sertanejo Zezé di Camargo. Ela disse coisas muito consistentes por sinal, mas reparei em algo que assola todas as matérias de todos os portais que tenham mulheres como notícia: leitores fazendo comentários negativos sobre sua aparência física. Entre todas as coisas que esta mulher disse na matéria, expondo sua vida e assim dando uma lição a tantas pessoas que poderiam estar passando por um casamento infeliz como o dela, algumas criaturas pensaram ser relevante falar sobre o quanto a acham feia.

Pra piorar, a maioria dos comentários vieram de outras mulheres. Isso só me dá mais certeza de que boa parte da culpa da existência do machismo no mundo é nosso por ajudarmos a propagar preconceito contra nós mesmas. Nós mulheres, mais do que ninguém, devemos saber que somos mais do que aquilo que aparentamos ser, que nossos feitos como ser humano vão muito além de um rosto perfeito e de um corpo escultural. Apesar da objetificação a qual nos submetem na mídia, é preciso ter consciência de que ser bonita é algo que extrapola os limites da aparência física. Portanto, quando vejo mulheres apontando e comentando sobre a falta de beleza de uma outra, só posso concluir que o melhor que essas pessoas têm a oferecer são suas belas bundas, suas barrigas tanquinho e seus rostos que com certeza estarão na Vogue do próximo mês.

Mas não é bem assim, não é mesmo? No caso da matéria da Zilu, mais da metade das fotos das mulheres que criticaram sua suposta feiura, não mostraram grandes modelos de beleza, muito pelo contrário. Se a matéria tivesse um homem, cinquentão e com uma vida de sucesso, será que o fato de ser feio seria mencionado ou considerado importante?

Que eu saiba Zilu nunca se candidatou a miss ou tentou se tornar uma modelo da Victoria’s Secret. Na matéria em questão ela também não se arriscou a dar dicas de beleza e cuidados com o corpo, mas simplesmente falou sobre sua luta ao lado do homem que, se possui o sucesso que tem hoje, muito se deve ao trabalho e dedicação de Zilu. Ela ainda falou das dificuldades financeiras pelas quais sua família passou e foi muito honesta contando sobre a infidelidade do marido. Mesmo assim, algumas pessoas se sentiram no direito de apontar a única coisa que conseguiram encontrar que poderia ‘denegrir’ a imagem daquela mulher: ela é feia.

Dia desses entrei numa discussão virtual com um ser ignorante desconhecido que criticava o feminismo. Derrubei um a um todos os pífios argumentos utilizados por aquela criatura desprovida de inteligência e, quando não lhe sobrara mais nada, resolveu encerrar a discussão da melhor maneira que conseguiu.“Ah, quer saber, Tuka Pereira? Você é feia!”, disse o pobre homem. Eu ri. Na verdade eu dei gargalhadas.

A partir disso conclui que, para alguns o maior defeito que uma pessoa pode ter é ser feio. Como ele não conseguiu desmerecer minhas palavras, fez o que os burros fazem: atacam a aparência física do outro. Ele é burro, machista e preconceituoso, mas o fato de eu ser feia é infinitamente pior de acordo com seu raciocínio. E tudo o que ele conhecia da minha aparência era aquela fotinha do perfil do Facebook, que confesso, escolhi a dedo por achar que eu estava bem ajeitadinha. Além de burro o homem com certeza é cego, pois sou gata! Rs…

Brincadeiras à parte, conheço muitas pessoas feias, e posso dizer com toda certeza do mundo, que nenhuma delas interferiu em minha vida e nem na de ninguém pelo fato de serem feias. No entanto, todos os babacas, ignorantes e preconceituosos que conheci, sejam eles feios ou lindíssimos, incomodam a mim e a muita gente com a ignorância e intolerância que disseminam por onde passam.

Portanto, você aí – mulheres e homens – que tem como passatempo favorito apontar os defeitos alheios – ela é gorda, ela é anã, ela é flácida, ela tem uma cara horrenda – comece a ler, a frequentar exposições de arte, a assistir bons filmes. Assim com certeza ampliará seu repertório de assuntos e quem sabe consiga perceber que beleza é muito além da pernoca sem celulite e do rostinho angelical. Inteligência não acaba com o tempo, já beleza fica apenas na lembrança.

Tags: ,